Skip navigation

Com o objetivo de discutir a arquitetura brasileira contemporânea junto aos melhores arquitetos sul-americanos de hoje a empresa Vazio S/A organizou o seminário internacional: Cidade Arquitetura Informal que é parte integrante do Verão Arte Contemporânea (13/jan a 12/fev), um festival em sua sexta edição que, além de eventos de música, dança, literatura e teatro,  este ano inclui também arquitetura em sua programação. A intenção do seminário é discutir o que acontece no Brasil com outros arquitetos da América Latina, uma região que, depois de décadas de estagnação econômica, hoje produz uma das arquiteturas mais vibrantes e inovadoras do planeta

3 e 4 fevereiro – Seminário Internacional Cidade Arquitetura Informal
Festival Verão Arte Contemporânea
Teatro Oi Futuro – Av. Afonso Pena 4001
Belo Horizonte, Brasil

O Brasil é ainda um país engessado pelas glórias do seu modernismo: seus heróis modernos acabaram por criar mais âncoras do que sopros, mais presídios que incubadoras. Todos nós sabemos que a cidade de hoje é muito mais informal do que queriam os modernos, menos controlada que querem seus planejadores, e absolutamente alheia aos esforços de organização que não a consideram por completo. No entanto, numa época onde a crítica ao modernismo é lugar comum em bienais de arte e na arquitetura internacional, o país permanece como continuador de uma tradição anacrônica

Cidade Arquitetura Informal procura discutir a cidade não como algo sob o controle de práticas deterministas e estilos passados, mas como sistemas que devem ser vistos junto à informalidade e desordem que hoje marcam não apenas as cidades latino-americanas, mas todas as grandes cidades tanto de países desenvolvidos quanto de países emergentes. Pela primeira vez em muitas e muitas décadas, parece haver na América Latina qualquer sinal de que há algo que pode ser visto como um outro processo de modernização e uma nova vanguarda no continente. Governos com recursos, ao lado de práticas privadas, têm desenvolvido abordagens inovadoras na arquitetura e no desenho urbano, ambas mostrando estratégias que tem menos a ver com os esquemas utópicos e mais com o conceito de acupuntura urbana; com novas práticas formais; trabalhando dentro da informalidade e focando as diferentes partes da cidade

Programação

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: