Skip navigation

Tag Archives: designers

My waste is your waste

18-05-2013 till 01-10-2013

Imagem

MOTI Museum and Casa da Braziliera in São Paulo (BR) enter a unique collaboration that stimulates knowledge exchange between Dutch and Brazilian designers. My waste is your waste is an exhibition and an exchange project that shows the limitless potentiality of waste as creative and constructive material

It brings together three Dutch and three Brazilian artists and designers, who all work with neglected and found materials.The artists and designers participating in My waste is your waste will temporarily work together in a ‘live atelier’ in Museu da Casa Brasileira. They will share their research and artistic approach on waste and investigate what they can make together

My waste is your waste bank

Anúncios

projeto “Re-design: brasileiros e holandeses experimentam descartes” promove intercâmbio sobre o reaproveitamento criativo de resíduos

“Re-design: brasileiros e holandeses experimentam descartes” é um projeto de intercâmbio e uma exposição que visam investigar e mostrar o potencial dos resíduos sólidos como materiais construtivos e criativos. Parceria entre o Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria de Estado da Cultura, e o MOTI – Museu da Imagem, de Breda, na Holanda, o projeto conta com a participação de designers, arquitetos e artistas brasileiros e holandeses, sendo dividido em duas etapas – exposição apresentando breve atuação dos envolvidos; e produção coletiva -, ambas abertas à visitação do público.

Participam três representantes de cada país: Thiago Bender (artista de rua), Rodrigo Bueno (artista visual) e Christian Ullmann (designer), do Brasil; Klaas Kuiken (designer), Jan Eric Visser (artista visual) e o coletivo Refunc (arquitetos e designers), da Holanda. Com curadoria de Mara Gama (Brasil) e Joanna van der Zanden (Holanda), o projeto terá ainda, em 2013, nova edição a ser realizada no MOTI – Museu da Imagem.

“Os artistas e designers do projeto irão trabalhar juntos em um ateliê ao vivo no Museu da Casa Brasileira, investigando confluências e compartilhando suas pesquisas e abordagens em relação aos resíduos sólidos”, explicam as curadoras, que visam gerar reflexões sobre questões como: Os resíduos são vistos de maneira diferente nos dois países? É possível transformar a imagem negativa dos descartes por meio de seu reaproveitamento criativo?

A exposição de obras pré-selecionadas dos participantes do projeto, ligadas ao tema do reuso, será inaugurada no dia 6 de novembro. No dia seguinte, os seis participantes farão visitas a ateliês e cooperativas de reciclagem para coletar materiais que serão usados entre 8 e 10/11, durante o trabalho de criação coletiva. O resultado do intercâmbio será mostrado a partir do sábado, 10 de novembro, dia em que haverá encontro informal com os artistas no espaço expositivo do MCB, aberto ao público.

“Todos nós produzimos resíduos, independentemente de onde estivermos no planeta. Restos de embalagens, tecidos, lixo eletrônico, objetos quebrados, sucatas de veículos e entulho da construção são as sobras da nossa riqueza, consideradas inúteis e jogadas fora ou deixadas para trás. Mas os resíduos podem também ser relevantes e usados para criar novos produtos”, concluem Joanna van der Zanden e Mara Gama.

Sobre o MOTI – Museu da Imagem
Situado em um dos prédios mais antigos de Breda, na Holanda, o MOTI – Museu da Imagem é um centro de referência em cultura visual criado em 2008. Focado em áreas como design, fotografia, artes visuais, arquitetura e ciências, o MOTI oferece um centro de pesquisa aberto ao público leigo e especializado sobre o design gráfico (Museumlab); oficinas educativas, palestras, apresentações e eventos, além de exposições temporárias sobre seus temas de vocação.

Sobre o Museu da Casa Brasileira
O Museu da Casa Brasileira se dedica às questões da cultura material da casa brasileira. É o único do país especializado em design e arquitetura, tendo se tornado uma referência nacional e internacional nesses temas. Dentre suas inúmeras iniciativas destaca-se o Prêmio Design Museu da Casa Brasileira, realizado desde 1986, e que comemora este ano sua 26ª edição.

SERVIÇO:
Projeto Re-design: brasileiros e holandeses experimentam descartes
Exposição e trabalho de criação coletiva Brasil x Holanda
Realização: MCB e MOTI – Museu da Imagem
Apoio: Consulado da Holanda e Central de Cultura

Abertura: 6 de novembro, terça-feira às 19h30
Entrada gratuita e aberta ao público em geral
Visitação: 7 a 25 de novembro

Local: Museu da Casa Brasileira
Av. Faria Lima, 2.705 – Jd. Paulistano
Tel.: (11) 3032-3727

Horário de funcionamento: de terça a domingo das 10h às 18h
Ingressos: R$ 4 e R$ 2 (meia-entrada)
Domingos e feriados – gratuito
Acesso a pessoas com deficiência/ Bicicletário com 20 vagas
Estacionamento: de terça a sábado até 30 minutos, grátis; até 2h, R$ 12. Demais horas: R$ 2. Domingo e feriados, preço único de R$ 15

Visitas orientadas: (11) 3032-2564 / agendamento@mcb.org.br
Site: http://www.mcb.org.br
Redes sociais: http://www.facebook.com/museu.dacasabrasileira / Twitter: @mcb_org

para alguns, o trabalho com resíduos é uma necessidade

para outros, um desafio consciente

my waste is your waste é uma pesquisa de design e exposição temporária no Museu da Casa Brasileira, em São Paulo, onde três designers/artistas holandeses e três designers/artistas brasileiros irão trabalhar por uma semana com resíduos como um tema guarda-chuva. os designers/artistas selecionados já trabalham com resíduos como pesquisa pessoal e para o projeto cada um apresentara um produto, seus conceitos e suas experiências em uma exposição. eles vão fazer isso em um ambiente acessível ao público, os resultados das sessões conjuntas do projeto, as perguntas e os comentários são levados diretamente para a exposição e compartilhado com o público

o projeto será apresentado ao público num espaço-ateliê permanente durante toda a duração do encontro, no final do workshop, a peça ou projeto fruto da criação coletiva será apresentada ao público pelos artistas

a mesma exposição deverá ser montada na Holanda no verão de 2013, no MOTI

Curadores

Joanna van der Zanden, curadora independente (Throwing Snowballs) e diretora artística da Roterdã Prêmio Design

Mara Gama, curadora independente e jornalista

Associados

Museum Of The Image – MOTI (Holanda) e Museu da Casa Brasileira – MCB (Brasil)

Em colaboração com a Central de Cultura, como parte do programa cultural bienal (2011-2012), que visa estimular e fortalecer o intercâmbio cultural entre a Holanda e o Brasil.

diversidade brasileira

IV Bienal Brasileira de Design

de 19 de setembro, e segue até 31 de outubro, em Belo Horizonte, se realiza a IV Bienal Brasileira de Design. Com curadoria geral de Maria Helena Estrada.

O tema , o evento tem como tema “Diversidade brasileira” é o tema da IV edição e como atração principal a exposição “Da mão à máquina“, que pretende, a partir de uma vocação do país para o artesanato, seguir da cultura popular aos produtos em que o profissional aplica uma linguagem contemporânea, buscando conectar o produto global à cultura local.

Outras mostras, da bienal são “Design de carros no Brasil: Rupturas e inovações“, “1 pessoa, 10 cadeiras“, “Jovens designers” e “Open School”, dos cursos de design mineiros.

A Bienal propõe também ações educativas, de negócios e outras, procurando envolver toda a cidade na discussão do design.

site da bienal

Nova Classe Média estará em discussão no evento, que vai abordar ainda o uso de novas ferramentas de competitividade

O Sebrae-SP firmou parceria com o SIMM (Sindicato da Indústria do Mobiliário de Mirassol) para a realização de um ciclo de palestras durante a  MOVINTER – FEIRA DE MÓVEIS DO ESTADO DE SÃO PAULO, marcada para os dias 17, 18, 19 e 20 de julho, no Pavilhão Interior Eventos, em Mirassol/SP. A Feira é realizada pelo SIMM e organizada pela Reed Multiplus, marca associada à Reed Exhibitions Alcantara Machado, maior promotora de eventos do Brasil.

O sindicato vai sediar o Ciclo nos dias 18 e 19 de julho, no período da manhã e espera receber empresários, lojistas, designers e profissionais de áreas relacionadas ao setor moveleiro.

O consultor de Marketing e Varejo do escritório regional do Sebrae, em Bauru, José Carmo Vieira de Oliveira ministrará a palestra Varejo de Móveis – Experiência Lar e apresentará ideias que ajudarão os empresários a aumentarem as vendas. “Com a globalização o mercado se torna cada vez mais competitivo e o empresário precisa saber que o concorrente não é apenas o fabricante local do mesmo produto que o dele. A concorrência ultrapassa as barreiras de setores específicos, por isto a necessidade do amplo conhecimento mercadológico”, afirma.

Serão ministradas duas palestras em cada manhã e mais de 200 pessoas devem passar pelo auditório do SIMM para acompanharem as palestras, que além do Varejo e a Nova Classe Média, vão abordar a Inovação Tecnológica e o Design.

Outro palestrante será o sócio-diretor da IT Projetos, Christian Ullmann, que falará sobre Design de Móveis para a Nova Classe Média. “Produtos e serviços antes acessíveis apenas às classes mais altas agora estão à disposição da nova classe média brasileira, o consumo democratizou-se e o design passou a ser uma das características que esta nova sociedade espera encontrar. A nova classe média brasileira dita as regras do mercado e quer mais conforto, atenção e respeito. Novas referências, comportamentos e estética, entram nas variáveis já conhecidas de matéria-prima, processos, funcionalidade, acabamento e comercialização”, diz.

Para Ullmann, o empresário que deseja se destacar no mercado precisa de conhecimento e ações planejadas. “Oferecer soluções adequadas para a nova classe média brasileira é o grande desafio para o setor moveleiro que tem que responder com iniciativas inovadoras e que atendam um modelo de produção mais sustentável”, explica.

As palestras são gratuitas, abertas ao público e fazem parte de eventos paralelos à MOVINTER.

Confira a Programação

designers precisam “cair na real”: “Hoje, quem quiser sobreviver no Brasil, e competir, vai ter de fazer produto para a classe C e D”

Alexandre Herchcovitch conquistou seu lugar no topo da moda brasileira com uma trajetória que começou nos anos 90 e que, de certa forma, se confunde com a evolução do design fashion nacional – sobretudo o de São Paulo. Do circuito clubber “alternativo” até as boutiques dos Jardins, o estilista imprimiu seu estilo com um misto de criatividade, tino para os negócios e tempero polêmico

Num momento de transição da moda brasileira, Herchcovitch se destaca como um campeão fashion de licenciamentos (de roupa de cama a bolsas e sapatos) e diz que os designers precisam “cair na real”: “Hoje, quem quiser sobreviver no Brasil, e competir, vai ter de fazer produto para a classe C e D”

E o que o público final, em geral, quer?
Vamos cair na real gente. O Brasil tem expertise de fazer roupa popular, de periguete (tá môbeim?). A gente também tem que olhar para isso. Pensei no banho hoje e queria falar. O que vendo mais e o que vendo menos? O que minha empresa é hoje? Uma empresa voltada para o licenciamento para as classes C e D. É isso o que está vendendo gente! Não se vende tanto vestido de R$ 10 mil. O que vende muito são meus edredons de R$250, meus sapatos de R$ 129. Só que não vou deixar de fazer meus vestidos caros, porque também tenho clientes que os querem. Hoje, quem quiser sobreviver no Brasil, e competir, vai ter de fazer produto para as classes C e D

design de móveis para a nova classe média

Materia completa:

O Brasil tem expertise de fazer roupa de periguete”, diz Alexandre Herchcovitch

11/06/2012 – por VIVIAN WHITEMAN e PEDRO DINIZ COLABORAÇÃO PARA A FOLHA